FORA DA CARIDADE NÃO HÁ SALVAÇÃO

Maternidade Sacrificial - Psicografado em 06/03/16


Espírito: A.F.

Médium: Maria Sílvia

Psicografado: Em 06/03/2016 - Associação Espírita Pão e Luz - Camaçari - Bahia.


Maternidade Sacrificial


Eis-me aqui. Coração transformado, alma mais leve, peregrina das múltiplas etapas existenciais. Eis-me aqui!!


A mente lúcida, hoje me leva a tantos questionamentos, e eu compreendo então a magnitude de Deus. Sem sexo, estive mulher, e neste estágio tão necessário, mas uma vez delinqui. Poderia ter feito diferente, mas, levada até a porta larga, deixei-me envolver pela ilusão dos prazeres mundanos, que logo passam, deixando apenas um gosto amargo de desilusão e desengano!


Mulher..., quanto podes na Terra amiga realizar, quão grande o seu poder e a extensão da força que possuis!


Nesta oração sincera, despojada do que fui, para apenas reflexionar no que poderia ter sido, quero louvar-te:


Mulher Mãe, nas noites cheias de sombra e medo pelo rebento que lá fora, não te respondendo aos anseios de amor, peregrino das jornadas equivocadas, segue em busca do ato enganoso, ulcerando em chagas profundas o teu materno coração, que roga ao Senhor da vida, transformá-lo para melhor. Nem por um momento tu o amas-te menos!


Rogo pela Mãe da vítima do teu filho, pela chaga aberta em ferida, que um dia, ele terá que curar. De forma aflitiva e pungente todo o erro resgatará!


Mulher Mãe do filho agressor, consumido no erro do amor, usando a droga que destrói, minando no corpo amigo, as possibilidades de vida, de cunho superior. Tu sempre o amarás, e roga a Deus, no silêncio das angústias, trazê-lo ao caminho da Paz!


Louvo a te também Mulher Mãe, daquele que vende a droga enganosa, destruindo o coração e o lar de tantos afetos. Momento virá em que o filho querido, nas malhas da dor envolvido, na dor ressarcirá!


Mulher Mãe de Caridade, abrigando o filho alheio, abandonado ao teu seio, mãe sofrida, destemida, doente, amiga e conselheira.


Mãe dos encarcerados, no corpo ou nas grades, Mãe dos que enganam, Mãe dos enganados, Mãe dos que matam, dos que partem, dos que roubam e dos que são roubados, dos que acrisolam ainda na alma a flor sombria dos enganos!


Mãe dos violentos e dos violentados, que na solidão dos amores, na exacerbação das suas dores, nunca se permitiram deixar de amar!


Louvo a vocês Mulheres sacrifício, Mulheres dores, Mulheres lágrimas de amores, por tudo o que são, por tudo o que foram por tudo o que serão. Nada te caracteriza melhor Mulher, que a tua função soberana de ser Mãe! Mãe de filhos e de maridos, de amigos e de esquecidos.


A você mãe querida que me gerou, que me quis e me aceitou, agradeço ter me recebido! Peço perdão por ter delinquido, ter te magoado e te ferido, e nunca ter ficado órfã do seu amor!!


A.F.

José Medrado - Editorial

Cristina Barude - Psicografia

Eventos

Auxílio Espírita

Colunistas

Artigos relacionados

Mergulho nas profundezas de si mesmo - Psicografada em 25/10/18

O encontro consigo mesmo é uma das maiores e mais fascinantes aventuras! Co...
Leia Mais

Gentileza sem cor - 26/11/18

Marisa Montes em sua música, Gentileza, inicia dizendo que “Apagaram tudo//...
Leia Mais

Outrora, ser Papa era uma satisfação, hoje, pode ser uma aflição!

No passado, ser papa era bem mais fácil do que hoje. Isso porque as pessoas...
Leia Mais

Massa de manobra - 04/06/18

Nesta manhã de segunda-feira (4), lendo aqui no BNews a manifestação de Líd...
Leia Mais